Te vejo no topo!

Tudo o que existe tem começo, meio e fim. Sejam escolhas, caminhos ou destinos. Alguns preferem encurtar a trilha, ir ‘pela floresta’, pegar um atalho.

O bom senso e a sabedoria popular ꟷ tão empírica quanto certeira ꟷ sempre apontam que pular etapas é burlar o ‘jogo’, o que não costuma performar muito bem.

Para dar os primeiro passos, é preciso engatinhar. Antes de correr, andar. Para germinar, tem que regar. Progresso. É o ciclo natural da vida.

Traduzindo para o mundo corporativo: se deseja evoluir, comece do início. Você deve estar pensando: isso é óbvio! Sim, é.

Mas por incrível que pareça, num mundo em constante evolução, onde somos bombardeados e nutridos de informações a todo instante, tal processo não é tão lógico, nem tão fácil de ser seguido. Vamos explicar o porquê.

A grande sacada

De onde surge uma ideia? Ela é feita de sonhos, de expectativas, de necessidades ou de memórias? A resposta certa é: ela é tecida pela informação, contida em tudo isso e presente em qualquer lugar.

Não é truque, nem mágica. Repertório. Conhecimento. Percepção. Questionamento. Curiosidade. Sensibilidade. Esses são os pais de toda ideia criativa e inovadora.

idea

A ‘lâmpada’ acende mais rápido (ou mais vezes) para quem vê, ouve e sente o mundo ao seu redor. As experiências e o ambiente em que se vive são os combustíveis que acendem a chama da criatividade e da inovação. Quanto mais, melhor.

E assim nasce uma grande sacada que, para se tornar tangível, precisa passar por todo um processo de construção, que transforma uma boa ideia em uma excelente oportunidade de negócio.

Heróis não nascem prontos

No mundo das startups, a expressão “from zero to hero”, é bastante conhecida e disseminada em eventos onde os participantes precisam criar um novo negócio do zero, em poucas horas.

Afinal, o que isso quer dizer?

Heróis não nascem prontos. Aliás, nada nasce “do nada”. Entenda heróis como o sucesso de um objetivo, um projeto, um desafio ou um empreendimento alcançado. E o momento em que a sua “lâmpada” acende, como o marco ‘zero’.

Para ir do ‘Zero ao Hero’, é preciso foco, esforço, dedicação e claro, aquela equipe com brilho nos olhos e altas doses de entusiasmo no sangue.

E como seria esse caminho?

Se você desprezar algumas etapas importantes do processo, pode ter certeza que não vai chegar primeiro por terminar antes, mas sim correr o risco de ter um imenso e cansativo retrabalho, além de perder tempo, dinheiro e esforço.

Para evitar frustrações e desperdícios, a jornada entre a ideia (Zero) e o pitch (Hero) é a seguinte:

Imagem: Catarinas Design

Zero: é o ponto de partida do empreendedor;

Ideia: o momento que a “lâmpada acende”. Quando uma ou mais ideias surgem e devem ser validadas;

Brainstorm do Problema: hora de conferir se a ideia corresponde a um problema real;

Brainstorm da Solução: depois de validar o seu projeto, é o momento de pensar na solução;

Mínimo Produto Viável (MVP): é a solução mínima para testar e validar as suas hipóteses com agilidade e precisão;

Pitch: é o ápice (o ‘Hero’), a oportunidade de apresentar seu modelo de negócios para convidados.

Um Insight muda tudo

A proposta do conceito “Zero to Hero” é elaborar estratégias para a criação de um produto com métodos ágeis, utilizando os princípios da inovação para acelerar ações e entregar resultados rápidos.

Ou seja, pensar estrategicamente a jornada como um todo para validar sua ideia antes de lançar (efetivamente) no mercado, para você empreender com o mínimo de investimento e sem medo de errar!

Essas etapas guiam a sua criatividade por um processo lógico, colaboram para realizar os ajustes necessários e contribuem para que você não perca o foco durante o caminho, chegando ao ‘Hero’ com mais chances de comprovar que a sua ideia pode ser realmente um negócio rentável e de sucesso.

MVP Making by.add é ideal para isso , porque testar e validar as suas hipóteses com agilidade e precisão deve ser algo contínuo (acabou, recomeça, acabou, recomeça…).

Desta forma, é possível comprovar a aceitação do seu produto no mercado e, se for preciso, ajustar o projeto para viabilizar o plano de negócios.

Crie, recrie, crie!

E o processo criativo precisa ser estimulado com as ferramentas certas para desbloquear a sua criatividade e manter acesa a chama da inovação.

Utilizar o Design Thinking para construção de produtos e serviços é fundamental para abrir mentes criativas e criar soluções inovadoras.

Com preparo e motivação, tudo é possível!

Acredite. Pense grande, voe alto, chegue lá e vá além.

Do Zero ao Hero. Te vejo no topo!

PS.: QUER SABER MAIS SOBRE CONSULTORIA? Fale agora com nossos especialistas de Inovação!

Deixe uma resposta